A ideia de que as grandes mudanças ou revoluções só acontecem pela ação de alguns poucos esclarecidos e corajosos, apesar de parecer pouco democrática, continua sendo verdadeira. Isso foi observado e registrado desde antes de Maquiavel escrever “O Príncipe”.

Estive lendo um pequeno livro do século XVI, intitulado “O Discurso da Servidão Voluntária”, de Etienne de la Boétie, considerado o livro precursor das ideias anarquistas. Neste livro, que buscava investigar se a liberdade é algo natural ou adquirida, mostra-se que, ao longo dos séculos, as tiranias de todos os tempos e reinos sempre dominaram o povo com a promessa de segurança e a oferta de entretenimentos. E que o povo se acomoda de tal modo a isto que aceita, voluntariamente, a sua servidão, sem perceber que o tirano só domina porque o povo assim o permite.

Naquela época, já falava o autor que apenas alguns poucos, pela “virtude do nascimento” ou pela “luz do conhecimento”, percebiam que nada há de mais valioso que a liberdade. Que nem mesmo a vida segura sob servidão era mais digna que a liberdade conquistada ao custo de sangue e suor. Foram sempre estes poucos “esclarecidos” que despertaram parcelas da população para lutar pela liberdade e destronar os tiranos e opressores, ao longo dos tempos.

Até hoje, a história se repete, ora como farsa, ora como tragédia. A liderança da sociedade esteve, nos últimos dias, nas mãos dos caminhoneiros, que por sua vez são liderados por alguns poucos visionários e esclarecidos nas táticas anti-opressão.

À liderança sulista, cabe exercer com zelo e responsabilidade o papel de mobilização da população em direção à autodeterminação. E, ao mesmo tempo que lhe convém buscar o conhecimento, também lhe compete transmitir essa luz aos seus liderados.

Isso porque somente a unidade na compreensão da sua história e a visão compartilhada de seu futuro é que levam um povo a lutar por sua liberdade e autonomia.

* Daian Douglas Souza, formado em Administração e pós-graduado em Economia, é Presidente da Comissão Municipal do Movimento O Sul é o Meu País em São Leopoldo/RS e integra o grupo político suprapartidário denominado Mobilização Sulista. #mobilizasul