Repressão aos Catalães fortaleceu Movimento Independentista. Foto: Manu Fernandez/AP

Celso Deucher*

O que vimos ontem na Catalunha foi a mais pura expressão da democracia participativa de um povo que cansou de ser explorado por um poder central corrupto e corruptor. A Espanha bateu forte e literalmente assassinou a liberdade em tempo real em todo o mundo.  Por toda parte do planeta as vozes são de condenação total a violência praticada contra cidadãos que nada mais queriam que VOTAR sobre seu futuro. Salvo melhor juízo, o Plebiscito Catalão não teria tanto sucesso, caso todos os cidadãos não fossem tratados como animais por Madri.

O resultado de tudo isso é magistral. Mesmo sob forte repressão, aquele povo agigantou-se e foi as urnas e venceu o mais temível dos inimigos: o medo. Amanhecemos nesta segunda-feira quase com uma ressaca mundial que deu ao mundo uma grande certeza: o fim do estado repressor. Qualquer país que tentar lidar com os separatismos internos da forma que a Espanha fez ontem, estará fadado a execração pública. O grande recado dos acontecimentos aponta para a democracia plena. Deixem os povos exprimirem suas opiniões pacificamente, pois os que reprimem a forma pacifica, preparam de fato, as guerras fraticidades que ninguém mais quem nem ouvir falar.

Teria alguma lição para o Brasil? Sim, muitas. Ao longo dos séculos o Sul (e outros povos dos brasis) foi reprimido com coisa até pior do que os espanhóis fizeram ontem. A história está ai para ser analisada e avaliada. Esperamos que ao longo deste próximo ano, quando o mesmo processo ocorrido na Catalunha, vai acontecer aqui no Brasil, que as autoridades tenham a ombridade e o respeito aos princípios democráticos e não cometam os mesmos erros em relação ao Movimento O Sul é o Meu País. E não estamos pedindo para aceitar nossas ideias. Nosso clamor é por sermos ouvidos e compreendidos e não dispensamos a proposta de discussão, desde que pacífica. Nosso pedido é apenas  que, nos tratem como seres humanos que somos e que temos, como coletividade, o direito irrenunciável de votar sobre nosso futuro.

Neste dia 7 de outubro, sábado que vem, é a vez do Sul ir as urnas no Plebisul 2017. Neste dia, toda a população Sulista vai ter o direito de votar se quer ou não, que o Paraná, Santa Catarina e o Rio Grande do Sul forme um país independente. Assim como os Catalães, nós vamos fazer todo o processo dentro da legalidade, sem precisar desrespeitar nenhuma lei, apesar de discordarmos democraticamente de muitas delas. Neste dia 7, além de votar, nossos cidadãos vão poder assinar o Projeto de Lei de Iniciativa Popular que vai ser entregue nas assembleias legislativas do Sul, pedindo em definitivo, um Plebiscito Consultivo Oficial, para de uma vez por todas, possamos saber qual a opinião do nosso povo em relação a seu status frente a federação brasileira.

Vamos a luta, a Catalunha nos deu o belo exemplo de como devemos proceder.

VIVA A CATALUNHA LIVRE!!!

VIVA O SUL LIVRE!!!

* O autor é Jornalista e Secretário Geral do Gesul – Grupo de Estudos Sul Livre.