Um canto sulista
hino
Por Joacir Dal Sotto *

Certa vez,
Um grupo de homens descontentes
Com o império ao qual pertenciam,
Deixaram suas esposas e crianças no lar,
E seguiram marcha,
Contra um quinto de impostos que pagavam ao poder central,
E que iam aumentando,
Diante uma óbvia crise do sistema administrativo.

A luta armada foi desigual,
Porém, o sangue não foi em vão,
E muitas histórias
Ainda contam sobre aqueles separatistas.

Passou o tempo,
Alguns lutando pela república brasileira,
Outros pelo império no Brasil.
Enquanto, aqui, ao sul do até hoje Brasil,
Guerreiros ainda lutam,
Pela emancipação política e administrativa dos três estados do sul.

Hoje sentimos o sangue de nossos antepassados,
Passar por nossos corações.
Estamos em uma marcha pacífica e democrática,
E pobres daqueles que acreditam nos homens e mulheres,
Que administram o Brasil.
Queremos a luz horizontal de uma boa gestão,
Somos sulistas de coração e alma,
Somos do movimento “O Sul é o Meu País” como soberana nação.

Em poucos versos fazemos um hino,
Em alguns séculos de luta já conscientizamos
Milhões de sulistas que foram e vão além do ideal.
Quem quer conhecer a causa sulista,
Estamos de portas abertas,
Até que os corruptos do sistema brasileiro ultrapassado,
Sejam julgados e condenados por uma nova ordem política.

* Escritor Joacir Dal Sotto, autor do livro “Curvas da Verdade” e presidente do movimento “O Sul é o Meu País” da comissão de Lages (SC).