Professor Nilson Lage, da UFSC

No último dia 9 de setembro, o professor de Comunicação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Nilson Lage, fez um desabafo, em artigo publicado na Jornal GGN. Segundo ele, “o dragão da maldade comanda o Judiciário, o Legislativo, o Executivo, a mídia, as igrejas, armou um exército policial paralelo – uma espécie de SS frente a Wehrmacht”. E completou: “A dissidência será contida em guetos, sob pressão social, e se condenará a validar, pela existência, a iniquidade”.

Após tecer diversas críticas a chamada “democracia” no Brasil, afirmou categoricamente que o país está à beira de fracionar-se em diversos países. “O Brasil se encaminha para a etapa final de um processo que acompanho e prevejo há anos”, disse. “Uma improvável força oculta (nem poderia, obviamente expor-se) ergue-se com a força dos terremotos por sobre a desinformação da massa e o engano dos letrados – terá que buscar no povo forças para revolver o lixo e enfrentar águias, hienas e urubus que cercam a carniça – ou podemos cogitar do fracionamento do país em estados menores que (dou, como exemplo, guardadas nítidas diferenças, a Iugoslávia) poderiam, talvez, viver sob menor pressão e enfrentar com eficácia os problemas sociais que infernizam – e infernizarão cada vez mais – a nossa vida.