Julio César de Souza, coordenador do Projeto de Lei de Iniciativa Popular (PLIP) do Bloco Sul Brasileiro, em Santa Catarina.

Júlio Cesar de Souza*

Votar não muda mais nada. Nossos avôs votaram e trabalharam sonhando com um futuro melhor para seus descendente e infelizmente, praticamente nada conseguiram mudar. Sabemos hoje em dia que se candidatar, votar ou ser membro de um partido já não mudará em nada o sistema político atual. Estamos assistindo até o STF andar de mãos dadas com os políticos que encabeçam a corrupção, com a conivência de seus partidos. O sistema brasileiro faliu completamente. Executivo, legislativo e judiciário, infelizmente estão mancomunados contra nós, o povo.

Mas, diante de tanta desesperança, surgem ações práticas que nos permitem vislumbrar alguma luz no fim do túnel. Um deles é o Movimento O Sul é o Meu País, que através de ações práticas busca nossa libertação deste injusto sistema brasileiro. Pela primeira vez na história, o Povo Sul Brasileiro une-se em uma ação conjunta nos três estados para tornar real a criação da Nação Sulista. Prova concreta é o Projeto de Lei de Iniciativa Popular do Bloco Sul Brasileiro vem nos dar a possibilidade de ter a autoridade de um deputado estadual, pois o projeto pode virar lei. Mais que isso, estamos nas ruas buscando, através da democracia direta criar uma Lei que de fato venha a beneficiar nossa população Sulista como um todo.

Esse projeto que estamos encaminhando, através da coleta de assinaturas nas ruas do Sul, visa um planejamento mais específico para a nossa região a curto, médio e longo prazo. Vai atuar nas estratégias de desenvolvimento regional nas áreas de educação, indústria, agropecuária, conhecimento, entre outras, levando em consideração as realidades que nos unem, sem esquecer das diferenças que naturalmente o Sul possui, como o clima, o relevo, o solo, vegetação, os usos, costumes e tradições da nossa terra.

Para que esse projeto se concretizar temos que cumprir as exigências da lei 9709/98 no artigo 13 que vai nos possibilitar a grande satisfação de podermos entrar na assembleia legislativa de nosso estado de cabeça erguida mostrando que somos pessoas civilizadas, inteligentes e que queremos mudanças. Se no Brasil esta difícil uma organização do seu povo, aqui nós estamos organizados e sabemos lutar por um futuro mais digno.

Não é nada difícil conseguir essa proeza, pois na nossa consulta popular de 2016 em Santa Catarina conseguimos 257.947 mil pessoas avalizando e mostrando ter vontade de mudanças. Agora para poder ter a mesma força que um deputado e colocar o projeto que representa nossos anseios e esperanças em votação precisamos de cerca de 100 mil assinaturas. Isso vai garantir nossa força rumo a um futuro que nossos avôs e pais sonhavam para nos. É óbvio que será apenas a abertura de uma porta, porem, temos que continuar lutando com inteligência e com o pensamento em nossas mentes. Afinal, temos que lutar no presente, para que um dia, nossos filhos e netos possam olhar para trás e dizer com orgulho:  “o povo do Sul fez a diferença”. Portanto, por nossos filhos e netos, arregaçar as mangas é preciso.

* O autor é coordenador Mesorregional do Plebisul  na grande Florianópolis e coordenador do Projeto de Lei de Iniciativa Popular (PLIP) do Bloco Sul Brasileiro, em Santa Catarina.