Carlos Zatti

Por Carlos Zatti*

Muitas dúvidas perturbam as pessoas em relação à separação do Sul. Afinal, que benefícios o cidadão terá caso o Sul se separe do Brasil?

De modo geral, a nosso ver, muito positiva será a vida, livre dos grilhões brasílicos, que nos infelicita de muitas maneiras. Nada temos contra os brasileiros, mas quase tudo contra o sistema e a forma de governo imposto por Brasília. A começar pelos vícios do centralismo e a avassaladora burocracia que amesquinha a generosidade própria de cada região deste belo país.

Pensando nestas questões, resolvi enumerar alguns dos benefícios que particularmente penso que virão com a liberdade Sulista. Ressalvo que são opiniões pessoais deste ativista da causa Sul Brasiliana, pois o Movimento O Sul é o Meu País, do qual faço parte e sou um dos fundadores no Paraná, não trata destas questões, visto que seu objetivo é apenas discutir e prover meios da população da região se expressar em relação ao assunto.

Quem seria contrário aos 40 itens que apresentamos a seguir? Quais outros pontos poderiam ser aliados a estes? Qual a sua opinião pessoal sobre o que pode melhorar com a Independência do Sul? Vamos a eles:

1 – Redução de impostos, com melhoria dos serviços públicos.

2 – Os impostos arrecadados no Sul serão investidos no Sul.

3 – A honestidade passará ser virtude vantajosa.

4 – A miséria será vergonha comum.

5 – Formação de um Estado-Nação em que o cidadão terá orgulho nacional.

6 – Garantida a preservação da cultura popular e tradicional do povo sulino, bem como seu folclore.

7 – Legalização do ensino doméstico – Homeschooling.

8 – Liberdade de fazer, ou não fazer, tudo o que o cidadão quiser, desde que não traga prejuízo aos outros, ou à natureza.

9 – Estancar-se-ão a pauperização e a degradação social.

10 – O enriquecimento ilícito será considerado crime.

11 – Todos serão iguais perante a lei, com o fim das imunidades — Justiça igualitária.

12 – As penas, por roubo e por improbidade administrativa, perdurarão até a restituição dos valores.

13 – Maioridade penal a partir dos 14 anos, com penas sócio reformatórias…

14 – Tal como a Argentina, o Sul pagará à Petrobras apenas R$ 0,98 o litro de gasolina.

15 – O voto será facultativo.

16 – Livramento da corrupção brasílica.

17 – A Corrupção será considerada crime hediondo.

18 – Sistema penitenciário autossustentável, onde o recluso, com trabalho,
absorva a sua despesa pessoal, e fim dos indultos.

19 – Prisão perpétua, ou pena de morte, aos traficantes, terroristas, estupradores e membros do crime organizado?

20 – Curso técnico, obrigatório, aos detentos.

21 – Criação de Inteligência que funcione e uma Polícia gabaritada…

22 – O Código Penal não terá válvulas de escape e/ou protelatórias.

23 – Proteção à propriedade privada, contra invasores.

24 – Judiciário eleito com mandato definido pela comunidade a que servir.

25 – Porte de arma legalizada para o cidadão honesto, sendo simplificada e rápida a documentação, e rigorosa a pena aos fora da lei.

26 – Salários dos governantes a uma realidade nacional, assim como o Salário Mínimo.

27 – Os funcionários públicos (concursados ou eleitos) hão que ter formação acadêmica ou técnica em sua área de atuação.

28 – Fim do foro privilegiado: julgamento na justiça comum a quaisquer cidadão, mesmo que ocupante de cargo público.

29 – Redução/fim de cargos de confiança na administração pública, valorizando a competência dos funcionários concursados.

30 – Redução/fim dos multi-auxílios recebidos pelos governantes.

31 – Respeito aos contratos.

32 – Legislação baseada no princípio de: para cada direito um dever.

33 – O sulista deixará de ser tratado como sub-raça, já que, como eleitor brasileiro vale menos que a maioria dos outros eleitores e como contribuinte é penalizado com a má distribuição do bolo tributário, e, como cidadão culto, é relegado por sua arte cultural e tradição diferenciada.

34 – O PIB, per capita, aumentará na proporção Sul X Brasil.

35 – Terá uma Constituição enxuta e objetiva.

36 – As leis que regem o destino dos sulistas serão feitas por nós.

37 – País menor é mais fácil de ser governado condignamente.

38 – Descentralização dos poderes governamentais: Autonomias regionais/municipais.

39 – Estado mínimo que garanta a democracia, a liberdade individual, a legalidade, a ordem e que o papel do poder executivo se limita aos serviços mínimos necessários.

40 – Nosso País será uma Confederação Municipalista.

 

*O autor é historiador paranaense, autor de diversas livros sobre a história do Sul, membro do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná, liderança do Movimento O Sul é o Meu País e um dos fundadores do Gesul.