O FIM DA AMÉRICA PORTUGUESA

Por Joacir Dal Sotto *

Sempre nasce uma luz em meio ao povo que compactua dos mesmos ideais, as vezes alguns fazem a frente, mas é a história de cada povo que é repetida até que cada povo tenha a sua independência e a tão sonhada liberdade. É impossível dizer que o povo brasileiro tem identidade, na realidade dentro do Brasil existem vários povos com um anseio por independência política e administrativa.

Ao longo dos poucos séculos dessa américa portuguesa, muitas injustiças ocorreram e diversos movimentos separatistas emergiram pelas cinco regiões que hoje estão perto da liberdade. Temos paulistas lutando pela emancipação política e administrativa, da mesma maneira que nordestinos, da mesma maneira que sulistas que agora alavancam um Projeto de Lei de Iniciativa Popular (PLIP). Um segundo PLEBISUL (consulta popular feita com os sulistas que querem ou não a formação de um Estado ao sul da américa portuguesa) será realizado pela instituição soberana (através do apoio popular) pelo movimento de décadas chamado “O Sul é o Meu País.

O tempo da repressão física terminou recentemente (segundo muitos sociólogos), dessa forma toda proposta que defendem os novos separatistas é pacífica e democrática, sem armas e sem radicalidade, tudo baseado na manifestação pública das ideias e autodeterminação dos povos, este, um direito tão antigo quanto as leis pelo bem viver dos membros de uma tribo.

Talvez sejamos lembrados pelos filhos do mundo como os precursores de um novo período da humanidade, a certeza é que o Brasil está insustentável politicamente e culturalmente. Cansamos da agressão e ricos são aqueles que compram para vender, ricos são aqueles que utilizam de uma gestão horizontal dos recursos (sejam naturais ou produzidos pela sabedoria dos grupos trabalhadores). Quem acredita no futuro já percebe que em menos de cem anos teremos quatrocentos países pelo mundo, quem acredita no futuro já faz diferente pelo bem maior dos diversos povos, estes que espalhados pelo mundo e que encontraram luz pelos braços da paz.

* Escritor Joacir Dal Sotto, autor do livro “Curvas da Verdade”, mestrando em práticas transculturais e presidente do movimento “O Sul é o Meu País” na comissão de Lages (SC).