A Comissão Nacional do Movimento O Sul é o Meu País está convocando todos os seus militantes, simpatizantes e lideranças para uma ampla manifestação conjunta em todas as cidades da região Sul, onde a entidade está presente, para o próximo dia 3 de junho. Na oportunidade a militância do Movimento estará nas praças centrais dos municípios distribuindo panfletos explicativos da causa Sulista, adesivos, jornais e em todos os municípios haverá uma grande faixa com as palavras de ordem que a organização vem usando: “Basta de Brasília – O Sul é o Meu País”.

A orientação é para que neste dia ocorra ações de conscientização em prol da proposta de independência da região Sul e a formação de um novo País. Por isso, no evento também estará sendo colhido as assinaturas da população para a o PLIP (Projeto de Lei de Iniciativa Popular) do Bloco Sul Brasileiro, iniciativa que pretende entrar com três Projetos de Lei nas Assembleias Legislativas dos Estados do Sul e criar institucionalmente a “Nação Sulista”. As ações de organização e divulgação já começaram pelas redes sociais, sendo que devem ser ampliadas para as ruas nos próximos dias.

Situação nacional motiva Manifestação

Um dos principais líderes da organização, o jornalista catarinense, Celso Deucher, afirma que a situação nacional é um dos principais motivos das manifestações por independência do Sul. “Como estamos vendo de maneira espetacular pela imprensa, o Brasil de Brasília, está dando seus últimos suspiros, sangrado pela praga da corrupção que atingiu em cheio todos os pilares da república”, disse.

Segundo ele, a entidade tem escancarado esta realidade desde 1992 quando da fundação do Movimento O Sul é o Meu País. “Sempre denunciamos que Brasília destruiria o Brasil e de fato, isto aconteceu e chegamos ao final da história desta aberração política. Como fizeram com Tiradentes, mataram o Brasil e lhe esquartejaram em praça pública via meios de comunicação. Resta agora a corja assassina de Brasília enterrar o morto. Basta ver pelos meios de comunicação que este féretro macabro já começou. Fazem parte deste cortejo insólito os algozes da situação e da oposição, da direita e da esquerda, quadrilhas de todas as matizes políticas, de norte a Sul, de leste a oeste da América Portuguesa”, analisa Deucher.

Ainda segundo ele, os povos dos Brasis estão neste momento órfãos e jogados a própria sorte. “Antes de destruir o Brasil estas quadrilhas saquearam nossas riquezas e feriram de morte nossas esperanças de futuro junto a federação brasileira. Neste momento, estamos largados a própria sorte em meio a miséria e a desgraça. Não há a quem recorrer na malfadada república que finda. Somos nós e somente nós que devemos decidir o que fazer”.

 

Convocação dos demais Movimentos independentistas do Brasil

Deucher assinala que no último dia 18, lançou um convite aos demais Movimentos do Brasil para que se juntem ao Movimento Sulista neste dia 3 de junho, e promovam em seus estados e regiões manifestações públicas. “Solidários com os demais povos dos brasis, convocamos a todos para fortalecer nossos laços de amizade e de luta por nossas nações. Cada um a seu modo e com as suas consciências, tem o dever de manifestar-se em defesa dos seus povos. Façamos cada um a sua parte e busquemos a libertação total de Brasília”, enfatiza.

“Nós do Sul já sabemos o que fazer e temos a proposta que vai nos guiar para um futuro digno. Nós já decidimos dar um Basta a Brasília. Sabemos que a luta é difícil, mas não temos outra saída. O Sul está de pé. O Sul não se entrega”, finaliza Celso.